Ciladas do cartão de crédito que doem no bolso

O chamado “dinheiro de plástico” como são conhecidos os cartões de crédito caíram no gosto do consumidor no Brasil.

De acordo com dados divulgados pelo SPC Brasil, cerca de 52 milhões de brasileiros utilizam o meio como forma de pagamento.

Desse montante, cerca de 47% possuem o costume de parcelar suas compras.

Entretanto alguns dados chamam a atenção.

Um terço dos usuários, ou seja, 34% sequer sabem qual limite possuem para utilização

Outro dado preocupante é em relação às taxas de juros.

Aproximadamente 96% dos usuários não sabem qual a taxa de juros que pagam para compras parceladas ou na modalidade de cartão de crédito rotativo.

E quem ganha com isso são as operadoras, que vivenciam uma verdadeira “guerra de foice” para atrair cada vez mais consumidores.

Desse modo, a Reis Revisional, autoridade na luta contra a prática de juros abusivos no Brasil, alerta para as principais ciladas no cartão de crédito para que você não seja mais uma vítima dos altos juros praticado no Brasil.

Cilada  1 – Evite pagar o valor mínimo da fatura do cartão de crédito

Valor mínimo fatura cartão de crédito

Ao efetuar o pagamento do valor mínimo da fatura, o consumidor entra em uma verdadeira cilada.

Com o pagamento do valor mínimo, há um alívio financeiro momentâneo, contudo o preço a ser pago no mês seguinte será alto.

Isso porque comumente os juros do cartão de crédito no Brasil são considerados um dos maiores do mundo.

Dessa forma, além do valor residual não pago pela fatura atual, o consumidor verá somadas as despesas do mês seguinte juntamente com a cobrança de juros pelo valor devido.

Em suma, uma bola de neve.

A saber, a taxa média de juros para o crédito rotativo, como é chamado o valor não pago na fatura, gira em torno de 300% ao ano.

Isso sem falar no método de cobrança, que se dará por juros compostos, ou seja, haverá incidência de juros sobre juros.

Saiba mais sobre esse assunto no artigo: Como calcular taxa de juros de empréstimos

E a situação se agrava ainda mais quando não há o pagamento sequer desse valor mínimo cobrado na fatura.

Algumas operadoras, além de cobrarem valores absurdos de juros no cartão de crédito, podem suspender automaticamente os limites em caso de não pagamento.

Outra cilada proveniente dessa situação esta em casos de autorização do desconto em débito automático.

Algumas pessoas são pegas desprevenidas e têm o valor da fatura descontado diretamente em conta corrente, gerando grandes transtornos financeiros e desequilíbrio no planejamento de suas contas.

Cilada 2 – Conheça os valores cobrados no cartão de crédito em forma de tarifas

Tarifas cartão de crédito

A cobrança de tarifas embutidas na forma de seguros, principalmente contra fraudes e roubos, costumam pesar no bolso na hora de pagar a fatura.

Ainda mais quando o desconto é efetuado em parcela única, surpreendendo o consumidor.

Ocorre que esse tipo de seguro é uma medida preventiva mais benéfica à operadora do que ao consumidor propriamente dito.

Isso porque comumente esses seguros visam ressarcimento de valores em fraudes que são de responsabilidade da operadora, e não do consumidor.

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, embutir tarifas em contratos sem consentimento do contratante é prática ilegal, podendo ser considerada inclusive como venda casada, e deve ser ressarcida.

Ao perceber cobranças indevidas na fatura, o usuário deve prontamente contatar a operadora do cartão de crédito para que esta efetue o estorno dos valores.

Certamente essa é uma cilada no cartão de crédito que merece atenção pelos adeptos à modalidade.

Cilada 3 – Não parcele faturas

Parcelamento de faturas

Certamente ao abrir a fatura do cartão de crédito você já se deparou com várias opções de parcelamento, que parecem gritar e implorar pelo seu aceite.

De fato o parcelamento de faturas é uma ótima opção, mas não para você e sim para a operadora.

Isso porque a cobrança de juros nessa modalidade tende a ser absurdamente mais alta do que qualquer outra forma de empréstimo.

O cartão de crédito se tornou uma ferramenta de uso corriqueira, para despesas do dia a dia.

Ao efetuar o parcelamento, o usuário se esquece que estará parcelando esse tipo de gasto, e terá além das despesas normais para sua existência, a dívida contraída a juros extremamente altos.

Dessa forma, cabe ao consumidor quando estiver em uma situação de dificuldade financeira emergencial e precisar efetuar o parcelamento, buscar alternativas.

Algumas modalidades de crédito consignados costumam ser mais atrativas.

Porém, para as pessoas que já entraram nesse tipo de dívida, existe uma alternativa: a revisão de juros abusivos no cartão de crédito.

Apesar de ser movido por contratos de adesão, abusos na cobrança da fatura podem e devem ser revistos.

Para saber se você esta sendo vítima de juros abusivos na fatura de seu cartão, preencha o cálculo revisional e coloque um basta nos juros abusivos no cartão de crédito.

Cilada 4 – Evite pagar contas ou sacar dinheiro com o cartão de crédito

Pagamento de contas com uso do cartãoDe fato que o cartão de crédito facilita muito o cotidiano das pessoas.

Entretanto acostumar-se a pagar contas com essa ferramenta é uma armadilha que dói no bolso vez que as operadoras costumam cobrar uma tarifa pela transação.

E pior, em cada operação será cobrada uma tarifa nova.

Ou seja, se o usuário pagar 10 contas no mês utilizando o cartão ou efetuar 10 saques, pagará uma tarifa por cada transação concretizada.

Dessa maneira o consumidor desatento acaba onerando a fatura por puro desconhecimento do contrato de adesão de seu cartão de crédito.

Especialistas no assunto afirmam que essa prática deve ser evitada ao máximo a fim de obter economia financeira.

Além disso, ao efetuar o pagamento de contas com o cartão de crédito, o usuário estará apenas protelando gastos que teria que pagar imediatamente.

Ou seja, no próximo mês, as contas chegarão novamente e haverá acúmulo de valores, fazendo com que o consumidor se perca financeiramente.

Infelizmente são poucas operadoras de cartão de crédito que orientam e alertam seus clientes quanto as boas práticas de seu uso.

Cilada 5 – Evite ter múltiplos cartões 

Múltiplos Cartões

Qualquer lugar que vamos hoje em dia nos é oferecido um cartão de crédito diferente.

Lojas de conveniência, supermercados, shoppings e por ai vai.

Infelizmente muitas operadoras cobram anuidades e tarifas sem avisar o consumidor.

Desse modo, ter mais de um cartão de crédito pode significar pagar essas tarifas em duplicidade, aumentando as despesas mensais.

Outro fator importante que deve ser levado em consideração é que, quando o usuário possui muitos cartões, terá maior facilidade em se perder na organização financeira mensal e acabar com isso se esquecendo de efetuar o pagamento de alguma das faturas.

Decerto que, caso isso ocorra, o prejuízo será enorme vez que entrará no crédito rotativo e terá que efetuar o pagamento de taxas elevadas de juros.

Como falamos no início do artigo, o Brasil possui uma das maiores taxas de juros no cartão de crédito do mundo.

Falando de crédito rotativo então, o consumidor estará sujeito a taxas superiores a 300% ao ano.

Isso certamente é muito bom para as operadoras, que visam apenas aumentar suas margens de lucro.

Cilada 6 – Não fazer a consulta de juros abusivos no cartão de crédito

Juros abusivos Cartão de CréditoAinda são poucas as pessoas que buscam seus direitos em relação a revisão de juros e taxas indevidas em contratos bancários.

Ocorre que mais de 90% dos contratos bancários, inclusive os de cartão de crédito, possuem abusos que podem ser revistos.

Uma revisão de fatura de cartão de crédito, quando efetuada por um especialista na área, pode ser reduzida pela metade.

Isso somente é possível porque a legislação, à luz do Código de Defesa do Consumidor, prevê que cláusulas contratuais abusivas ou que coloquem o consumidor em extrema desvantagem na relação de consumo, devem ser anuladas.

De acordo com a Reis Revisional, especialista em revisão de juros em contratos bancários e cartões de crédito no Brasil, sem efetuar a revisão de sua dívida o consumidor estará contribuindo para que credores e operadores continuem cada vez mais cometendo abusos em contratos e fazendo com que as pessoas tornem-se cada vez mais endividadas.

Para as pessoas que estão desconfiadas se estão ou não pagando juros abusivos, o mais indicado é fazer o Cálculo Revisional.

Por meio da revisão, é possível obter em alguns casos redução de mais da metade do valor devido.

Cilada 7 – Pagar anuidade sem negociar valores

cartão de crédito anuidades

De fato que a tarifa de anuidade cobrada pelas operadoras de cartão de crédito encarecem a fatura mensal em demasia.

Hoje em dia, com uma pesquisa rápida de mercado, é possível obter cartões de crédito sem a cobrança dessa tarifa.

Já para as pessoas que estão acostumadas com sua operadora e não querem mudar, o correto é negociar a tarifa.

Poucas pessoas sabem que é possível contatar o prestador de serviços e tentar a redução dessa tarifa, principalmente quando a operadora é o próprio banco onde o consumidor possui conta aberta.

Desse modo, é altamente recomendado contatar o prestador e negociar os valores a fim de reduzir o montante pago a título de tarifa bancária.

Cartão de Crédito e o Código de Defesa do Consumidor

Com a finalidade de proteger o consumidor contra abusos de operadoras de cartão de crédito, o CDC prevê algumas regras que devem ser seguidas.

A saber, o cartão de crédito é um serviço regido por contrato de adesão.

Isso significa que suas cláusulas são pré-estabelecidas, sem poder de negociação ao aderente.

Entretanto isso não é um impeditivo para que as pessoas façam a revisão de suas faturas no combate a abusos.

Abaixo elencamos alguns parâmetros que devem ser seguidos e que são pouco divulgados pelos prestadores de serviço:

  • As cláusulas contratuais dos contratos de adesão devem ser redigidas em termos claros e de fácil entendimento pelo consumidor;
  • É direito do consumidor ter acesso ao contrato para sanar as dúvidas, com direito a solicitação de uma via a qualquer momento;
  • o contrato pode ser rescindido por quaisquer das partes e em qualquer tempo mediante solicitação;
  • a administradora do cartão deve manter um telefone de contato fácil para o consumidor sanar dúvidas ou efetuar reclamações.;
  • ao solicitar o cancelamento, o consumidor deve receber da administradora o comprovante desse cancelamento por email ou carta a fim de evitar cobranças futuras;

Quais são as principais tarifas e encargos cobrados nas faturas do cartão de crédito?

Para facilitar a vida do consumidor, elencamos abaixo as principais tarifas e encargos cobradas pelas operadoras de cartão de crédito.

Anuidade de cartão de crédito

 Comumente cobrada por grande parte das operadoras, trata-se de uma taxa paga pela utilização do cartão.

Normalmente cobrada uma vez ao ano, podendo ser parcelada durante os meses do ano.

Juros no cartão de crédito

Valor adicional cobrado quando não há pagamento integral da fatura.

As taxas de juros devem vir discriminadas na fatura;

Multas

 Essa cobrança se dá principalmente quando há atraso no pagamento da fatura

De acordo com as regras de utilização do cartão de crédito, a administradora pode cobrar até 2% de multa sobre o total da fatura;

Juros de mora por atraso no pagamento do cartão de crédito

 Valor mensal cobrado pelo atraso, que pode ser de até 1% de acordo com as regras instituídas para essa modalidade;

Avaliação Emergencial de Crédito: 

Trata-se de um valor que é cobrado quando o consumidor gasta mais do que o limite do cartão.

Um ponto que deve ser levado em consideração é que essa taxa pode ser cobrada no máximo uma vez nos últimos 30 dias;

Pagamento de Contas com uso do cartão de crédito

Tarifa cobrada quando há pagamento de contas diversas com o cartão de crédito como água, luz, etc.

É importante frisar que a cada conta paga, será cobrada uma taxa nova.

Saque

 Comumente é um valor cobrado quando há saque em dinheiro por meio do cartão de crédito;

Segunda via do cartão 

Cobrada quando o consumidor solicita segunda via por motivos diversos como perda ou roubo do cartão de crédito.

É importante frisar que a operadora não pode obrigar o consumidor a efetuar o pagamento de segunda via quando ela mesma dá motivo a troca.

IOF

IOF é a sigla do imposto por operações financeiras.

Para compras no exterior, por exemplo, o percentual do IOF é de 6,38% atualmente;

Como fazer a revisão de dívida por cartão de crédito?

Juros abusivos cartãoInegavelmente andar com dinheiro no bolso não é prático nem seguro, ainda mais com os altos índices de violência.

Contudo utilizar o cartão de crédito pode fazer o consumidor cair em inúmeras armadilhas, mas que podem ser evitadas.

Principalmente em relação à cobrança de tarifas e juros cartão de crédito.

Dessa maneira o consumidor deve ficar atento ao que esta sendo cobrado para evitar transtornos com cobranças indevidas, roubos e encargos indevidos.

Outrossim, se desconfiar de alguma irregularidade, o consumidor deve contatar a administradora do cartão para relatar a ocorrência.

Em casos de negligência por parte da administradora, o consumidor deve procurar um profissional para auxiliá-lo.

A empresa Reis Revisional é especialista em revisões de dívidas com cartão de crédito.

Contate a Reis Revisional, faça o Cálculo Prévio e descubra se você também esta sendo mais uma vítima dos abusos de operadoras e financeiras.

Outras reclamações de consumidores quanto a abusos de operadoras de cartão

A fatura do cartão de crédito é o documento onde deverão constar todas as compras efetuadas pelo consumidor, com discriminação de data, valor e estabelecimento comercial onde foi realizada a transação.

Nela também são discriminadas informações importantes como data de vencimento, valor mínimo de pagamento, taxas de juros, encargos, etc.

Dessa maneira, a fatura deve ser obrigatoriamente enviada mensalmente para que o usuário tome conhecimento dos valores cobrados.

Entretanto problemas com a fatura são campeões de reclamação pelo consumidor.

Abaixo elencamos os principais pontos de atenção para prevenção de armadilhas:

  • Fatura enviada com data posterior ao vencimento – é importante salientar que a obrigação de pagamento na data correta continua em vigor mesmo com o atraso no envio do documento;
  • Valores cobrados indevidamente – nesse caso o estorno da cobrança deve haver de imediato;
  • Alterações de limites – reduções de limite devem ser comunicadas ao consumidor com 30 dias de antecedência;
  • Cobrança de seguros e tarifas extras – como informado, frequentemente administradoras fazem esse tipo de cobrança. Caso o consumidor faça o pagamento, deve solicitar devolução dos valores.

Dicas para consumidores evitarem ciladas com o uso do cartão de crédito

  • se não vai usar o cartão, deixe-o em casa;
  • nunca forneça o número do seu cartã vez na máquina na hora de efetuar uma compra;
  • confira os valores expressos no comprovante da compra;
  • nunca empreste seu cartão de crédito a ninguém;
  • não anote ou guarde a senha próxima ao cartão a fim de evitar fraudes;
  • nunca forneça sua senha para ninguém;
  • tenha sempre a mão o número da operadora do cartão para comunicação de perda / roubo;
  • em compras pela internet, evite sites desconhecidos e sem sistemas de segurança ou por telefone para desconhecidos;
  • ao entregar o cartão para o estabelecimento, nunca o perca de vista;
  • desconfie se o cartão foi passado mais de um.

 

Conclusão

O cartão de crédito é uma ferramenta extremamente útil ao nosso dia a dia.

Entretanto deve-se haver muita atenção para que ciladas possam ser evitadas fazendo com que o controle financeiro seja prejudicado.

Um ponto de atenção é em relação à cobrança de tarifas e juros abusivos.

Ao desconfiar de qualquer abuso, o contato à administradora do cartão deve ser imediato.

Não havendo solução administrativa, um profissional deve ser acionado.

No Brasil, a Reis Revisional é líder em revisão de dívidas com cartão de crédito.

Certificada pela norma ISO 9001 de qualidade, a Reis Revisional é a empresa certa para combater práticas abusivas contra o consumidor.

Se você também esta sofrendo cobranças indevidas ou juros abusivos, fale com a Reis Revisional e coloque um ponto final nessa situação

Willian dos Reis
Willian dos Reis
Co-fundador da empresa Reis Revisional, consultoria especializada na luta contra a cobrança de juros abusivos no Brasil, gerando economia financeira e proporcionando o equilíbrio nas relações de consumo entre seus clientes e Bancos e Financeiras. Condecorada pela LATIN AMERICAN QUALITY INSTITUTE na categoria de Consultoria Financeira, foi premiada por sua preocupação na gestão da qualidade com certificação emitida pela LAQI, reconhecida pela ONU.

Qual sua opinião? Deixe um Comentário

avatar
 
smilegrinwinkmrgreenneutraltwistedarrowshockunamusedcooleviloopsrazzrollcryeeklolmadsadexclamationquestionideahmmbegwhewchucklesillyenvyshutmouth
  Inscreva-se  
Notificação de