Prorrogar financiamento

Prorrogar financiamento pode ser uma boa opção?

Dificuldades no pagamento de suas dívidas levam pessoas e empresas a procurarem opções para prorrogar financiamento e empréstimos a fim de amenizar o caos financeiro que se instalou em grande parte da população, motivados principalmente pela pandemia e seus reflexos na economia.

O total de empréstimos no Brasil totalizou apenas no mês de maio cerca de R$ 4,2 trilhões, conforme dados divulgados pelo Banco Central do Brasil.

Desse total, cerca de R$ 2,4 trilhões foi o valor movimentado para pessoas físicas, e cerca de R$ 1,8 trilhão para pessoas jurídicas.

A saber, as taxas de juros praticadas no país nunca foram das mais vantajosas, onde o fantasma dos juros abusivos assombra boa parte daqueles que dependem do empréstimo para conseguirem equilibrar suas finanças.

Entretanto, o consumidor deve ficar atento tanto na hora de contratar um empréstimo quanto na hora de prorrogar financiamento.

Isso porque o refinanciamento de dívidas eleva ainda mais a cobrança de juros, que já é bem salgada na maioria dos contratos, sendo que muitas vezes a prorrogação do prazo para pagamento dos débitos pode dobrar ou triplicar os valores devidos.

O que é prorrogação de financiamento?

Prorrogação de financiamento bancário

Com a pandemia assolando a economia nacional e mundial, muitas ações governamentais entraram em vigor como tentativa de amenizar a situação de pessoas e empresas que se viram em grandes dificuldades para arcar com os pagamentos em dia de suas dívidas.

Dessa maneira, credores tiveram incentivos do governo para oferecer a seus clientes a prorrogação do vencimento de parcelas de alguns tipos de dívidas, em caráter excepcional, por conta do caos econômico instalado no país.

Devido à continuação da crise econômica e os efeitos da pandemia, muitos empreendedores e produtores ainda não conseguiram se restabelecer.

Dessa forma, prorrogar o financiamento foi uma medida que chegou para evitar que essas empresas fechem, piorando ainda mais a situação econômica nacional.

Outra maneira de prorrogar financiamento ocorre quando o consumidor efetua uma renegociação da dívida, onde muitas vezes há o aumento no prazo de pagamento com diminuição no valor da parcela, ou então, aumento no prazo e acréscimo de valores, que na prática funciona como um novo empréstimo.

Essa situação tem se tornado recorrente principalmente pelo aumento substancial do desemprego e queda brusca na renda do trabalhador.

Desse modo, muitas pessoas recorrem ao refinanciamento como forma de prorrogar financiamento e tentar aliviar o bolso com o peso das parcelas, que muitas vezes significa o comprometimento de boa parte da renda do trabalhador.

Prorrogar financiamento vale a pena?

Expostas as situações que levam uma pessoa a procurar alternativas de prorrogação de financiamento, temos que ter em mente que cada caso é um caso, e que cada credor tem sua maneira de participar na resposta a esse questionamento.

O fato é que, na maioria das vezes, seja prorrogar financiamento seja refinanciar dívida, quem levará vantagem será o credor, e dificilmente o consumidor.

Isso porque todos os empréstimos possuem taxas de juros, e muitas vezes essas taxas estão acima da média divulgada mensalmente pelo Banco Central do Brasil, o Bacen, órgão do governo regulador e fiscalizador dos bancos e financeiras.

Dessa forma, quando o consumidor aumenta o prazo de pagamento de sua dívida, automaticamente estará sujeito a novas cobranças de juros, que podem encarecer ainda mais o débito e piorar a situação financeira a longo prazo.

Não à toa, credores inundam consumidores com propostas de refinanciamento de suas dívidas, e em alguns casos, ofertando ainda mais dinheiro emprestado para que o consumidor fique longos anos pagando as parcelas para o banco.

Tudo isso tem um motivo: banco vive de juros e fará de tudo para aumentar suas margens de lucro.

Quando um gerente de banco oferta um empréstimo, ele esta fazendo o trabalho dele, que é cumprir as metas que lhe são estabelecidas e contribuir para o crescimento da instituição financeira.

Contudo essa oferta “generosa” de crédito nada mais é do que a venda de um serviço, no caso, venda de um empréstimo.

A saber, bancos batem recordes de lucros ano após ano, sendo que no Brasil suas margens de lucro são absurdas.

Por fim, fazer empréstimo, financiamento, prorrogação de financiamento ou refinanciamento bancário exige cuidado e deve ser considerado apenas como última alternativa para quem esta com a corda no pescoço, atolado em dívidas, e não sabe mais o que fazer com tantos juros a pagar.

Como se livrar dos juros abusivos bancários?

Prorrogar financiamento bancário culminará certamente na cobrança de juros abusivos, que pode ser traduzido como uma forma exagerada do credor em levar vantagem sobre o consumidor, parte mais frágil da relação de consumo.

Desse modo, quando há empréstimo bancário, financiamento ou refinanciamento, o mais indicado é fazer uma análise do contrato a fim de identificar taxas e tarifas abusivas, bem como cláusulas que desfavorecem o consumidor e desrespeitam a legislação.

Assim, o mais indicado é que essa análise seja efetuada por profissional qualificado, onde um laudo técnico conterá todas as afrontas identificadas a fim de que possa ser feita a revisão.

No Brasil, a empresa líder em revisões de dívidas bancárias contra cobrança de juros abusivos é a Reis Revisional.

Com corpo de profissionais qualificados, a empresa identifica todos os abusos contratuais, sejam em empréstimos pessoais, empresariais, dívidas com cartões de crédito, cheque especial e produtos bancários diversos, como refinanciamentos ou até mesmo prorrogações de financiamento.

Antes de prorrogar financiamento é altamente indicada a análise da dívida e a revisão.

Na maioria dos casos, é possível obter uma redução da dívida que pode chegar a mais de 90% do valor devido.

Se você acredita que pode estar sofrendo cobrança de juros abusivos, fale agora mesmo com a Reis Revisional.

Preencha o Cálculo Revisional e coloque um ponto final nos juros abusivos.

Existe empréstimo sem juros abusivos?

A análise e identificação da cobrança de juros abusivos é algo complexo e pode exigir a competência de um profissional qualificado para sua identificação.

Entretanto, quando uma pessoa sente que esta pagando valores altos na parcela, ou então que as parcelas parecem não ter fim, pode ser um indício da cobrança abusiva de juros.

Ao prorrogar financiamento bancário o consumidor estará concordando com acréscimo de juros em uma dívida onde já houve a incidência da taxa, aumentando significativamente os valores do débito.

Dessa maneira, antes de efetuar a contratação de empréstimo bancário ou prorrogar ou refinanciar um contrato, é fundamental pesquisar no mercado as opções existentes.

Infelizmente devido a pouca concorrência e também ao sistema econômico nacional e o protecionismo às instituições bancárias, dificilmente o consumidor conseguirá um serviço bancário íntegro sem a cobrança abusiva de juros.

O tipo de empréstimo onde há as menores taxas são os chamados “empréstimos consignados”, que por prenderem o consumidor ao desconto automático em folha de pagamento, acabam tendo taxas mais vantajosas do que os serviços comuns.

Outro tipo de situação esta em relação aos empréstimos bancários com cobrança das parcelas em débito automático.

Por haver autorização expressa do consumidor para que o desconto exista de forma automática e compulsória dos valores diretamente da conta do financiado, essa modalidade também apresenta taxas mais atrativas.

Contudo o consumidor deve ficar atento, pois na hora de cancelar o desconto automático pode haver uma grande dificuldade imposta pelos credores.

Para saber mais sobre o assunto, acesse nosso artigo “Como cancelar débito automático”.

Por fim, o ideal é que o consumidor evite ao máximo contrair empréstimos, e principalmente, prorrogar financiamento.

Entretanto, se a situação for inevitável, fazer uma ampla pesquisa de mercado e verificar todas as possibilidades antes de assinar o contrato é fundamental para evitar armadilhas.

Por fim, caso desconfie de que algo possa estar errado, fazer a revisão da dívida é uma excelente saída para se livrar de cobranças abusivas de juros e economizar dinheiro.

Publicado em Revisão em Empréstimo Bancário
0 Comments

No Comment.

Desenvolvimento Web por beDigital.com.br