Práticas Abusivas de Construtoras e Incorporadoras na Venda de Imóveis na Planta

Práticas Abusivas de Construtoras e Incorporadoras na Venda de Imóveis na Planta

Consumidor: Fique atento às ciladas!

Achar um imóvel que satisfaça nossos sonhos e seja compatível o bolso não é uma tarefa simples. Quando alcançamos esse objetivo, precisamos ficar muito atentos às armadilhas impostas por construtoras e corretoras, que além de embutir taxas abusivas nos contratos de compra e venda de imóveis na planta, como taxas SATI e corretagem, ainda preparam diversas armadilhas que colocam o consumidor em grande desvantagem.

Como em todas as áreas, o ramo imobiliário dispõe de empresas que cumprem os contratos firmados e respeitam o consumidor, porém existem aquelas que coagem e ameaçam com estratégias que visam apenas garantir seu lucro e escapar das punições em razão do descumprimento contratual.

Armadilha na Compra de Imóvel na Planta: “Entrega das chaves”

O truque mais praticado nesse mercado esta na parcela das chaves, no caso de imóvel adquirido na planta. Normalmente um valor alto é incluído no contrato com o nome de “parcela das chaves”, sob a promessa de que esse valor poderá ser financiado após a concretização do negócio. Acontece que esse pagamento não esta vinculado a entrega do imóvel propriamente dito. Esse valor na verdade é exigido de forma intermediária, e por possuir um “apelido” atrelado às chaves, confunde o consumidor que imagina pagar esse valor apenas na entrega do imóvel.

Se a entrega desse imóvel atrasa, o pagamento da “parcela das chaves” é exigido da mesma maneira. O consumidor então é pego desprevenido, pois imaginava paga-la apenas quando o imóvel fosse entregue. As construtoras então passam a exigir o seu pagamento e ameaçam o consumidor com protesto, cobrança de juros, multas e muitas vezes, até mesmo a rescisão do contrato.

Nesse cenário, as construtoras então oferecem um acordo ao consumidor, como se estivesse fazendo um favor a ele. Elas permitem que esse pagamento da parcela das chaves seja feito na entrega efetiva do imóvel, desde que o cliente assine um termo de acordo, onde embute uma nova data para a entrega do imóvel, inserindo também cláusulas que o cliente abre mão de qualquer indenização a que tenha direito por esse atraso, além de juros e multas. O consumidor então acuado, acaba assinando o acordo.

Se o imóvel prometido sofreu atraso, as construtoras não podem exigir o pagamento da parcela das chaves, e ainda estão sujeitas a multa pelo atraso. Por esse motivo, as pessoas que se encontram nessa situação não devem assinar nenhum documento, e devem procurar imediatamente uma empresa séria para defendê-la contra essas práticas abusivas.

Práticas Abusivas de Construtoras e Incorporadoras na Venda de Imóveis na Planta
Avalie este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Atendimento Online